amor de verdade?

Para ler ouvindo:

Afinal, o que é amor verdadeiro? Quem nunca se pegou fazendo essa pergunta pra si mesmo? Difícil de entender, difícil de explicar, complicado de sentir… O amor é, na minha opinião, o sentimento mais complexo e também muito fácil de ser confundido. Quem nunca confundiu amizade com amor, paixão com amor e até admiração com amor? Não que amizade não seja um tipo de amor. É sim. Mas não tô dizendo do amor fraternal e sim o amor entre um casal. Amor não é só pele, química, beijo na boca e cama. Amor é mais que isso e, embora a paixão e o sexo sejam importantíssimos dentro de um relacionamento, não são tudo. É claro que ter alguém que sabe te pegar do jeito certo, fazendo você ficar com as pernas bambas e esquecer do resto do mundo quando te beija é maravilhoso. Mas também é preciso que isso venha acompanhado de companheirismo, amizade, cumplicidade. É quando acontece a mistura de tudo isso que a gente tem certeza que está amando. É preciso se sentir bem e confortável ao lado de quem se ama. E não ter segredos. Viver como dois e não como um só. É ter sonhos em conjunto e não ambições egoístas. É sentir ciúmes, mas não impedir o outro de viver por isso. É perceber pelo tom de voz que tem alguma coisa errada e fazer o possível pra ajudar. É parar o mundo pra ouvir o que o outro tem a dizer. É admirar o outro por dentro. Porque a gente não vai ter um corpo perfeito pra sempre, pra manter o tesão. Só sexo não dá base pra um relacionamento, não. Faz perder a graça. Na hora em que estivermos casados vão chegar as contas pra pagar, vamos ter a casa pra manter, os filhos pra criar. E se um não souber ser companheiro suficiente do outro, já era. Por mais que o sexo seja fantástico não vai ser o suficiente pra manter o relacionamento em pé.
Eu quero casar pra vida toda, pra construir uma vida junto dele, formar uma família, pra admirar cada ruga que nascer, pra ficar o domingo inteiro enfiada na cama juntos vendo Tv, pra ir envelhecendo lado a lado e essas coisas assim. Piegas? Pode ser. Mas eu quero que seja assim. Porque eu penso que quando estivermos velhinhos, não vamos ter o pique de agora pra sair, viajar, namorar. E o que vai contar é a amizade, a admiração, o cuidado, a conversa e a maneira que vamos passar o nosso tempo juntos. E como vamos fazer pra deixar o outro bem, sorrindo e feliz. Amor não é só pensar no presente, é planejar o futuro também. É se enxergar junto com a pessoa daqui há 50 anos e por analisar muito bem a relação, saber que vocês tem os ‘quês’ que farão a diferença mais tarde.

Pra mim Amor é isso. E pra você?

-Juliana Bassan Ayon

Recomendado

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *