o de fora afetando o de dentro

Nós somos constantemente bombardeados por informações e opiniões e querendo ou não, isso afeta muito a nossa forma de pensar. Não se trata de não se ter personalidade e mudar de opinião como se muda de roupa, mas de reconhecer que o seu ponto de vista não é o mais apropriado para aquela situação e se permitir mudar. Olhar em volta muitas vezes faz com que consigamos enxergar exatamente o que precisamos, tomando como exemplo o que acontece com outras pessoas com problemas parecidos com os nossos. E isso é de fato mais interessante, já que tendo ideia de como agir e vendo modelos de fracassos e sucessos, podemos escolher um caminho que possa ser menos arriscado.
Bom, mas daí chegamos a parte de que o negócio fica chato. Porque foi exatamente isso que eu pensei relendo esse parágrafo acima. E vem mais uma vez aquela sensação de que quando a gente passa a ideia pro papel ela toma uma forma completamente diferente. Bom, mas isso não vem ao caso agora. O fato é que pode ser que isso pareça chato, mas será que é mesmo? Eu adoro riscos, adoro enfiar a cara sem saber onde é que aquilo vai me levar. Mas tem uma certa hora, e certos assuntos também, que precisam de cautela e nesses casos acredito que pensar um pouco antes, analisar e tomar um caminho que outras vezes já deu certo, não parece tão chato e cansativo assim. De fato considerando as consequências, é melhor do que quebrar a cara com uma coisa idiota e perder tempo, um tempo que muitas vezes não temos. Qual é a melhor opção?

{Juliana Bassan Ayon}

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *