MINHA MÚSICA!1!!111!!!1

Para ler ouvindo:

Existem músicas que mesmo fora das paradas de sucesso há anos continuam sendo importantes, emocionando e fazendo parte da vida das pessoas. Podem trazer a tona lembranças pra quem gosta delas e também podem despertar novas histórias em quem as escuta pela primeira vez. Boas músicas não envelhecem, e isso nada tem a ver com gênero ou estilo. Tem música que entra ano e sai ano e ela continua lá, firme e forte. Tem aquelas que são unanimidades, mas com outras nem sempre isso acontece. Numa festa de casamento, por exemplo, quando a pista bomba mais? Na hora dos flashbacks! Agora na maioria das festas os convidados são presenteados com plumas, óculos e aqueles balangandans todos, e é como se isso fizesse com que as pessoas se libertassem e esquecessem determinadas regras. E daí simplesmente se jogam na pista como se não houvesse amanhã. E pode ver, todo mundo sabe cantar, embora não admita. Quem nunca foi a uma festa e se acabou de dançar ao som de “It’s Rainning Men”, “YMCA”, “Dancing Queen”, “I Will Survive” e “Whisky a Gogo”? Eu gosto de músicas de estilos diferentes e épocas diferentes. Já cansei de ouvir “Nossa Juliana, mas que gostinho você tem, hein?” e também que eu ouço música de gente velha, que aquela música já ta passada, que veio do fundo do baú. Ta, mas e daí? O fato de ser antiga faz a qualidade dela se perder? Não. Ela continua ótima, do mesmo jeito que há tempos atrás. E aposto que muita gente também já passou por isso. Comigo teve um belo dia em que meu celular tocou e ficaram extremamente surpreendidos pelo toque ser “Highway to Hell” do AC/DC e fui obrigada a ouvir que a música era ultrapassada e que não era a música certa para o celular de uma menina. COMASSIM GENTE? Rock é ultrapassado? Música tem sexo agora? Não entendi o raciocínio. Mas né, vamos voltar ao assunto antes que eu perca o foco. As vezes eu percebo que muita gente (mas muita gente mesmo!) tem seu gosto influenciado pelo que a maioria gosta e ouve. Por exemplo, a música “I Gotta Feeling”, do Black Eyed Peas. Quantas pessoas você já não ouviu dizer que essa é música da vida delas? É começar a introdução que sempre aparece um que grita: “MINHA MÚSICAAAA!11!1!!1”. Tá, vamos as considerações antes que venham as pedras. A música é boa? Pode ser. A banda é boa? Até que sim. A pessoa tem o direito de considerar essa a música da vida dela? Lógico que tem. Mas daí chegamos onde eu queria chegar com isso: A pessoa gosta da música porque gosta mesmo, se identificou com o som e a letra, ela fez parte de algum momento importante ou é simplesmente porque tá na moda e ela copiou a opinião de alguém? Pra mim é tipo a banalização da trilha sonora da vida das pessoas. Não tô criticando gostar dessa música, especificamente. O problema não é a música em si mas quem diz esse tipo de coisa. Porque essa pessoa que considera a música que é hiper mega blaster hit do momento a música da vida é quem vai trocar a trilha sonora da vida quando aparecer uma mais super hiper mega blaster hit que a anterior, e assim vai trocando de novo e de novo e de novo. E pode reparar que essa pessoa que age assim é quem critica o fato de você ouvir uma música de 15/20 anos atrás com o argumento de que é velha. (Se preferir, substitua “I Gotta Feeling” por aquele horror de “Papanamericano” que dá praticamente no mesmo). E não tô falando tudo isso simplesmente porque eu não gosto desse tipo de música popzinha porque eu gosto sim. Se fosse pra falar do que eu não gosto eu estaria falando de sertanejo, o que não é o caso. E se fosse o caso entraria o fato de que meu noivo adora sertanejo e nem por isso eu deixei o meu eu de lado pra acompanhar os gostos dele e vice versa. E também eu ouço rádio, por isso nada me impede de gostar de alguma coisa nova. O que me incomoda é o fato de ver por aí esse bando de gente parecendo xerox uns dos outros, e que até gostam de outras coisas mas pra se sentirem ‘aceitos’ pelos outros precisam gostar do que esses outros gostam e ser o que a sociedade/a mídia/whatever querem que eles sejam. O que falta de repente é personalidade pra assumir o que gosta de verdade e ser feliz com isso.
Bom, isso é o que acho. Vomitei um desabafo. E você, acha que a música tem prazo de validade? Tem vergonha do que ouve ou assume o que gosta numa boa? Já se sentiu pressionado de alguma maneira a mudar os seus gostos?

{Juliana Bassan Ayon}

os gifs são daqui

Recomendado

2 Comentários

  1. Essa música do AC/DC é CLÁSSICA, mas minha músicaaaaaa deles é TNT HAUHAUHAUAAUAUHAUH piro a cabeça com essa música.

    Eu escuto muita música brega e ultimamente dou voz as boy bands velhas que entram em conflito com os One Directionsssssss da vida òó Mas acho que mais brega que isso, no ponto de vista de algumas pessoas, é escutar Céline Dion. Ngm acredita que escuto, mas sou FÃÃÃÃÃA~E DARIA TODO MEU DINHEIRO A ELAAAA HAHAAHAHAH

  2. TNT é demais o/ Você tem bom gosto!

    Brega pra mim na verdade é esses sertanejos sem sentido, então curto mesmo essas músicas velhas e deliciosas. Eu amo curtir fossa com o Roxette no último volume e já me falaram que é brega. Mas acho que vence o quesito o fato de que sou fã de carteirinha do Roupa Nova e AMO TODAS AS MÚSICAS e só não fui no show deles que teve aqui porque o Jorge não quis me levar HAHAHHAHAHAHHA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *