colheita de solidão

Para ler ouvindo:
“Mellon Collie and the Infinite Sadness” – Smashing Pumpkins

 

 

Os dias dela estão cheios
De tristeza, lágrimas e agonia
Com os anos ela foi se consumindo
Mergulhada na própria tirania.

Pode ser difícil acreditar
Mas assim a vida foi passando
E pelo ódio e rancor
Ela foi se dominando

Está se esgotando o tempo
Não a vejo mais florescendo
Parece vaso sem ser regado
Que aos poucos vai morrendo

Mas o que ninguém percebe
É que ela não tinha outra opção
E precisava de alguém corajoso
Pra tirá-la da escuridão.

Ver uma luz no fim do túnel
Apesar de tudo é o que ela queria
Ficou esperando ser salva
Por alguém que sempre a amaria.

O que ela não entendia
É que a vida tem uma cilada
Ela nunca seria salva
Se nao se deixasse ser amada.

Se fechou em seu próprio mundo
Ninguém rompia sua barreira
Passou a vida toda se escondendo
Cuidando da vida alheia.

Ela passou a vida se esquecendo
De que amar era o item principal
Se afundou nas coisas ruins
E acabou sozinha no final.

-Juliana Bassan Ayon

[versinhos insones depois de um pesadelo]

Recomendado

asas

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *