Sobre corações partidos e os partidores de corações.

trilha sonora: Turn Back Time – Aqua
“Claim your right to see the truth
Though my pangs of conscience,
Will drill a hole in you”

M (2)

 

 

Na primeira vez meu coração partiu em dois.

E doeu.

Na segunda quebrou em doze pedaços.

E doeu um pouco mais.

Na terceira os cacos foram tantos e tão pequenos que parei de contar.

E não parei de chorar.

E veio a quarta, quinta vez…

Sangrei, gritei, superei.

E mesmo a contragosto me acostumei.

Alguns pedaços colei de volta no lugar.

Outros nunca mais encontrei.

Algumas feridas cicatrizaram bem.

Outras deixaram marcas até hoje.

E meu coração todo remendado sobreviveu.

Mas quantos corações eu já parti?

Quantas vezes entrei sem a intenção de ficar?

Somos todos donos de corações partidos.

E somos todos partidores de corações.

Histórias inacabadas e momentos inapropriados.

Uma novela, uma tragédia.

Um filme sem desfecho, um livro sem final feliz.

Já sentimos e já causamos dor.

Somos o vírus e o remédio.

A doença e a cura.

Tudo depende do ponto de vista do narrador.

– Juliana Bassan Ayon

 

Recomendado

1 Comentário

  1. Olá Juliana, Mauricio, o da cadeira de rodas, lembra.
    Gostei tanto teus poemas que publiquei no meu blog

    http://mafuadocurupiraranzinza.blogspot.com/2018/09/panoramicas-do-femino-jauense-iihai.html

    Por favor, caso se interesse, dá uma olhadinha.
    Temos interesses similares e não consegui fazer um verso para inserir nas imagens.
    Elas valem por mil palavras, bem como a cor e o sentido. Tentando rimar meus posts para editar as imagens do varal de poesia da literocupa. Dar mais camadas de significado às postagens. Gostaria de saber sua opinião.
    Grato,
    Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *