Nada a declarar

E se eu soubesse antes, baby
que eu podia ser o que eu quisesse
sem precisar de você
eu já tava longe desse estresse
eu ia pra Lua pra te esquecer
Eu tinha virado astronauta
Eu até roubava um foguete
subornava o aeronauta
e ia longe pra não ser seu joguete.
Eu comeria doce no almoço
e salgado de sobremesa
faria tudo ao contrário
mandaria a merda a tua frieza.
Mas sempre me acho pequena,
irrelevante e arruinada
que só sei ser problema
e difícil de ser amada.
Daí nisso tudo eu me pergunto
Onde é que isso tudo vai parar?
Se é tão difícil estar junto
não tenho mais nada a declarar.
-Juliana Bassan Ayon

Recomendado

só.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *