insônia

Eu gosto de te olhar dormir
De ouvir sua respiração
Observar seu sono e então
no meio do sonho sorrir
Eu gosto dessa cumplicidade
Sinto paz no teu abraço
e no aconchego dos teus braços
mergulho em tranquilidade
Mas eu quero a tormenta,
o furacão desbravado
Quero você acordado
Deixando a casa barulhenta
Meu desejo, agora, de verdade
Era bagunçar a casa inteira
Tirar tua roupa e jogar na cadeira
E ser nua a tua insanidade
E entre risos e desejos,
Sopros e mordidas
E amor sem medidas
Me perderia nos seus beijos
Mas a insônia é só minha
E o sono profundo é seu
E enquanto você dorme no breu
eu te observo daqui, sozinha.
– Juliana Bassan Ayon

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *