apego

Eu tenho três caixas onde guardo as minhas bijouterias. Mas confesso, as que mais uso quase não vêem essas caixas; elas ficam por cima de móveis, aparadores, bancadas e vez ou outra eu perco parte delas. Tenho vários brincos que um dia eram pares e hoje estão solitários. Porém isso nunca foi um problema, pois eu sempre combinei os solitários entre si e formava pares diferenciados. E entre anéis, pingentes, colares, pulseiras e correntes, essas caixas se transformam em um depósito de lembranças. Eu guardo muitas coisas que tem valor sentimental. Nunca tive esse apego com roupas, mas com esses badulaques as coisas mudam. É quase uma caixa de relíquias, porque por mais que eu saiba que não vou usar tudo, dá um certo conforto saber que estão ali. Eu juro que consigo contar uma história pra cada peça que está ali, mas algumas histórias com o tempo deixam de fazer sentido. E daí é hora de se despedir. E por isso de tempos em tempos eu faço uma limpa nessas caixas, pra tirar dali o que não se encaixa mais no meu estilo e na minha vida. Hoje eu joguei muita coisa fora; brincos sem par, anéis sem pedra, correntes sem pingente… Eram muitas peças quebradas que eu não ia consertar mesmo. Então guardar pra quê? E isso é como certas coisas na nossa vida. A gente guarda ali ocupando espaço um tempão e nunca vão fazer bem ou serem úteis. Então é hora de desapegar e deixar ir. Já outras não vão sair daqui tão cedo. Algumas coisas que estão aqui faz tempo ainda permanecerão por outros tantos anos. Como uma pedra de um anel que era da minha mãe, um brinco que era da minha irmã, um broche que ganhei da minha cunhada, um colar que eu ganhei do meu marido na nossa primeira viagem juntos… As minhas caixas de bijouterias nunca serão só caixas de bijouterias, elas sempre serão contadoras de histórias. E é bom que continue assim.
-Juh, apegada desapegando.
@oinstavelmundodajuh

Recomendado

11 Comentários

  1. Oi Juh, eu também sou assim, guardo muitas bijouterias que sei que não vou usar mais, mas que para mim são especiais, têm muita história guardada. Dá um certo conforto ao coração saber que elas estão ali não é? Parece que os momentos felizes vividos continuam se perpetuando. Bjs!

  2. Isso é uma coisa super necessária. Eu fiz isso dia desses e fiquei assustada com a quantidade de coisa que eliminei. Guardamos pra quê? Pra entulhar? Existem coisas especiais…mas outras que são tão desnecessárias que melhor é desapegar mesmo.

  3. Oiê!

    Assim como você já tive várias bijuterias, um pouco mais de 100 pares de brincos, no entanto aos poucos fui perdendo e hoje não tenho nenhum tipo de ardono. Geralmente, se eu for precisar sair para algum lugar compro na hora algum brinco, tenho até que começar a comprar e principalmente ter mais cuidado.

  4. Engraçado como em coisinhas tão pequeninas residem tantas recordações e histórias. Caixa de bijuterias não, é um verdadeiro baú de tesouro! Mas desapegar é sempre bom, principalmente do que não nos serve mais. Beijos!

  5. Adorei seu texto! Também é uma tarefa dificil para mim desapegar de algum objeto que alguém me deu, ou que simplesmente me traz alguma lembrança de alguma maneira. Adorei seu post e a forma como abordou isso.

  6. Olá
    É o que eu falo, tem coisas que é difícil desapegar porque elas fazem parte de nós, de nossa história, e outras que podem ir sem dó. Eu sou desapegada que muita gente e ainda consigo juntar tranqueiras, estou sempre separando alguma coisa.
    Sou fã do equilíbrio e não julgo que se guarde coisas só pelo valor emocional

  7. Ola!
    Eu sou bem desapegada das coisas, não sou fã debijuterias, as que possuo uso com frequência, sou danada para perder rs.. Mas quando as coisas tem valor pra nós, aí já é outra coisa, nos apegamos mesmo.

    Beijos
    Minhaestanteliteraria.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *