conformismo

Me sinto mergulhada na mediocridade de ser eu. Sou boa em tantas coisas, mas ótima não sou em nada.
Em nenhuma área sou perita. Em nenhuma quesito ganhei nota máxima. Fui passando alcançando a média.
Nunca fui brilhante. Nunca me destaquei em algo. Era boa, mediana, razoável…
Na vida a gente nasce, cresce, toma uns capotes da vida, se arrepende de ter sido trouxa tanto tempo e morre.
Será que eu tenho que me conformar com esse fim? Será que tem que necessariamente ser assim? Será que eu tenho que assumir calada essa irrelevância que a vida empurrou pra mim?
E se eu não quiser me conformar? E se eu quiser esse destino mudar? E se eu estiver pronta pra começar a ganhar?
Eu cansei de perder. Me acabei tentando entender. Estou farta de todo dia um pouco morrer. Não quero ser invisível até desaparecer.

– Juliana Bassan Ayon

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *