ser e sou

Toda existência é inútil. Toda vida é pífia. Toda pessoa é realmente importante pra, no máximo, 15 outras pessoas. Desses 15 subtraímos aquelas que só se importam pela primeira pessoa ser útil em algo pra elas. Assim sobra, quem sabe, cinco. Somos grupos de média de cinco indivíduos que realmente se importam uns com os outros. Na grandiosidade desse planeta somos nada. Perto do universo então… Por que querer ser diferente ou querer tentar ser algo além do que a maioria já é? Ou já faz? Qual a razão de sair fora da caixa? Se na caixa era tão quentinho e acolhedor, ora! Qual a razão de não se podar pra se encaixar, de defender seus gostos e suas peculiaridades? Se por muitas vezes nem esses seres únicos do seu círculo se importam.
Me sentir parte da existência! É o que eu quero! Por isso rasgo a caixa. Saio da bolha. Vivo.
No fim eu sei que ninguém me vê e ninguém me lê. Sou eu só pra mim. Mas sou o que sou e quero sempre mais. E tenho sido.

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *