afogamento

Tem dias em que toda a turbulência que existe dentro de mim formam um tsunami. Ondas gigantes de desespero. Afundo, me debato e quase me afogo. Fico submersa, de olhos arregalados e de repente tudo some e eu perco a consciência. Tudo fica em silêncio. De repente, tudo vai voltando a clarear As cores vão reaparecendo. E dentro do meu caos reencontro minha calmaria.
– Juh, maremoto.

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *