mergulho

vivo essa vida corrida
que implora ser vivida
que rouba a minha calma
e voraz suga minha alma

que me tira os anseios
aumenta a dor que já existe
acentua meus receios
e faz de mim vazia e triste

quero reaprender a amar
na serenidade mergulhar
e me banhar em euforia

quero me reencontrar
contra o mundo lutar
e celebrar minha autonomia

ser de novo dona de mim
e quem sabe assim
ser, enfim, feliz

– Juliana Bassan Ayon

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *