vão

não sou gente
nem monstro.
nem boa
nem má.
não sou artista
e nem poeta.
sou o nada.
um sopro frio,
um coração.
um agrado bonito,
caído no chão.
sou só um vão.
que leva pro infinito.

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *