inteira

Tantas vezes eu escrevi sobre não pertencer, sobre como não me sentia parte de nada, como me incomodava não fazer parte das paisagens ao meu redor. Mas sempre pertenci a mim mesma. Me joguei pro lado como coadjuvante, mas dá minha vida a protagonista sou eu. Sempre fui minha. Sempre fui importante pra mim mesma e me compreendi nas minhas estranhezas. Eu gosto da minha companhia. Hoje vejo que sou parte mim, apenas. Sou inteira. Não nasci pra ser par. E tá tudo bem.

Recomendado

Ele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *