um monstro que sente demais

Tenho tanta coisa dentro de mim, tanto amor pra dar, que transbordo. Sinto em excesso. Um poço fundo de exagero. Por muito tempo eu contive esse monstro de sentir dentro de mim. Quando o libertei, ele se permitiu sentir tudo o que nunca pôde. Foi insano e sem sentido. Não seguiu regras, correu riscos. Gritou feliz tudo o que sentia, sem medo de julgamentos. Mas quem disse que estamos livres de julgamentos? O preço que se paga por sentir demais é grande. E no meu ápice de sentir, não veio nada de volta. Mas quem disse que teria? Quem disse que precisaria!? Se o sentido do amor é amar, eu amo. E não amo pouco, amo fundo. Afinal, pra quê eu estou nessa vida se não for para amar?
– Juh Bassan

Recomendado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *