run baby run

para ler ouvindo: “Run Baby Run” – Garbage

 

run baby run

 

Num certo ponto da minha vida eu até acreditei que tivesse algo a mais, que seria especial do meu jeito e com as minhas peculiaridades. Mas nunca fui. Sempre fui a mesmice e o de sempre. Talvez o ego faça essa mágica de nos acharmos diferentes e incríveis e, quando a realidade bate na porta nos mostrando que não temos nada pra nos distinguir na multidão, tudo dói.

Mas o show tem que continuar, mas eu não sei mais como fazer isso sendo essa máquina causadora de decepções. Por isso, enquanto posto uma foto sorrindo no espelho nas redes sociais, estou deitada há horas na mesma posição, sem conseguir dormir e me alimentar direito há semanas, tendo pesadelos diários, mas preferindo dormir a enfrentar a realidade. Tudo ao meu redor parece passar em câmera lenta e em escala de cinza, mas os dias passam na velocidade da luz e com cores quentes que chegam a queimar. O final do mês chega sem que eu me dê conta. E quando chega, me joga na parede e me exige explicação sobre a não produtividade do mês todo. Não sou como me veem. Não sou como a imagem que eu construí. Não sou nada.

Há pouco mais de um ano, tive um devaneio. E dentro desse delírio, enlouqueci. Parecia que não estava vivendo a minha própria vida, como se fosse um personagem de uma história dentro de outra história, perdida no enredo por estar fora de contexto. Tudo virou de ponta cabeça. Me despi de tudo o que era eu até então, de tudo o que sempre fui, de tudo o que sempre acreditei que fosse. E parti em busca da minha real história. Hoje vejo tudo como um desvario, uma grande alucinação de que eu merecia mais, de que eu merecia uma história digna de livro ou de filme, que eu merecia ser uma heroína ou algo além da minha habitual mediocridade. O voo foi bem alto e a queda foi igualmente imensa. E, quando caí, rezei pra não sobreviver.

Mas sobrevivi e aqui estou. Mais perdida do que nunca. Atolada num lamaçal de lágrimas e fracassos, torcendo por uma poção de invisibilidade ou por uma máquina do tempo. Nada de bom tem acontecido há meses. Mas hoje consegui escrever, apesar de. E esse bloqueio por não conseguir sangrar pelas palavras me trazia ainda mais a sensação de morte diária. O monitor cardíaco voltou a apitar, mas não sei ao certo se essa é uma boa notícia.

-Juh Bassan

Continue Reading

prioridades.

A casa toda escura, iluminada apenas pela luz da tela da televisão ligada em um canal aleatório e sem som, servindo apenas para o propósito de uma iluminação mais sutil no ambiente. Pandorinha, recém operada e deitada no tapete entre a tevê e o sofá, dorme um sono tranquilo e profundo. Depois da tensão de buscá-la no veterinário e fazer com que ela finalmente se acalmasse e dormisse, sento no sofá e fico observando ela dormir. Parece uma bebezinha. Sem conseguir evitar, começo a tossir. Uma tosse forte, alta e carregada que veio junto com a gripe que me pegou desde o final de semana. Não dá pra tossir baixo e nem disfarçar. Nisso o Jorge, que estava lá na cozinha, fala em tom de sussurro:
– Amor, você tomou o seu xarope?
Tá preocupado comigo, pensei.
– Ainda não. – respondi sussurrando também.
– Então toma senão você vai acordar a nenê.

Prioridades, gente. Prioridades.

🐕💛😍🐾

Continue Reading

dia das mães

Colo de mãe, vulgo melhor lugar do mundo. Quentinho e acolhedor. Onde nossas lágrimas cessam e nosso coração enche de amor. E o colo da minha mãe é o mais especial.
Dona Regina é aquela pessoa que está sempre feliz e otimista, mesmo que não esteja. Ela sempre cuida pra que que nós estejamos felizes, sempre aconselha, mas nos apoia em qualquer que seja a decisão. Eu sei do tanto de sonhos que ela deixou de lado pra que nós três pudéssemos ter a chance de lutar pelos nossos. E ela nunca nos cobrou disso. Fez por amor a família, por amor incondicional aos filhos. Então hoje chegou a nossa vez e a gente cuida pra que ela seja todo dia feliz. A gente protege das coisas ruins. A gente tenta devolver um pouco dessa imensidão e cuidado que ela nos deu desde sempre. Regina significa Rainha e não teria melhor definição pra quem ela é.
Te amo, mãe! 😍

Continue Reading

#JuhLista7 primeiro tema: A vida é muito curta para: (não fazer listas!!)

Eu gosto de fazer listas de coisas na minha cabeça.

Quantos sabores de pastel já comi na vida. Quais os melhores. Quais músicas eu cantaria bem no karaokê. Quais eu cantaria mal, mas arrasaria na performance. Qual filme eu gostaria de ser protagonista. Quem seria meu antagonista. Quantos vídeos de receitas eu já salvei no facebook e quantos eu realmente fiz. (<-essa me deixa triste)

Fato é que eu sou a louca das listas imaginárias, tanto que já quase fiz uma lista de listas aqui nesse post. E cansei de guardar elas pra mim. Quer dizer, na verdade eu nunca guardo e acabo esquecendo tudo. E de vez em quando surgem umas coisas legais que se perdem na imensidão da minha imaginação, então vamos deixá-las registradas. 🙂

Estréia  agora a categoria #JuhLista7, que é onde vão ficar todas as minhas listas de coisas aleatórias quando elas surgirem na minha cabeça, sem censura.

Essa primeira surgiu hoje depois de eu ter assistido um filme muito ruim (que eu já imaginava que era ruim, mas insisti) e cheguei a conclusão que a vida é muito curta pra gente perder tempo vendo filme ruim. E é muito curta pra outras coisas também.

Vem comigo!

 

Coração moleem vida duratanto choraaté que cura.

Continue Reading

ano novo, de novo.

para ler ouvindo: Let It Be – The Beatles

quem diria

2015 foi um ano tenso, atropelado, cansativo. E eu surtei muito em 2015. Foi difícil passar por ele, tive dores horrorosas, mas quando acabou e 2016 chegou, me encheu de esperança de que tudo ficaria melhor. Porque parecia que nenhum ano poderia ser pior do que aquele que tinha acabado.

Mas daí foi tombo atrás de tombo de novo. Uma avalanche de coisas acontecendo, todas ao mesmo tempo, colocando em xeque a minha sanidade. Muitas vezes eu me vi sem saída. Muitos dias eu tentei ser positiva, bem daquele jeito que as frases de auto ajuda nos ensinam (algumas que eu mesma já escrevi e postei aqui, inclusive), mas na vida real só boa intenção não vale de nada. Alguns dias são como um caminhão de merda despejados na nossa cabeça e nem a pessoa mais positiva e calma do mundo iria ficar de boa ou ver algo bom nisso. E nesses casos essas frases parecem só piada. Eu sentia como se o resto do mundo tivesse um super poder de transformar toda a merda em ouro, menos eu que afundava cada vez mais.

Mas a diferença é que em 2016 eu não surtei como em 2015. Eu me mantive calma, fui resiliente e tive fé. Eu chorei, eu me isolei, mas eu não deixei de acreditar um dia sequer. Todo dia eu cresci um pouco, todo dia eu tentei ver com os olhos dos outros e não julgar, eu tentei ser melhor como pessoa, tentei ser melhor pro mundo e torci também pro dia seguinte ser melhor que o anterior. Teve dias que eu acertei. E teve dias que errei feio. Eu aprendi que naqueles dias que a merda toda cai na nossa cabeça não adianta fazer nada além de esperar. E que, olha só, às vezes a merda vira adubo. A vida é irônica e eu aprendi a rir das ironias da vida. E sei que apesar de tudo, mesmo depois de tantos tombos, eu fui e sou muito abençoada. E hoje eu entendo que eu só consegui enfrentar tão bem 2016 graças ao que eu enfrentei e aprendi em 2015. E descobri que realmente nada nessa vida é somente acaso.

No meio do caos também aconteceram coisas boas; pessoalmente, na família, no amor, no trabalho. Abri mão de algumas coisas por causa de outras, aprendi a desapegar, a deixar ir o que não me pertence. Acreditei em pessoas que depois provaram que não eram dignas de cofiança, mas aprendi a tentar entender e consegui perdoar. Nesse ano tive 3 poemas meus publicados no livro ‘Antologia Poética’ do projeto Senhoras Obscenas, mas não pude ir ao lançamento e chorei sozinha de orgulho e frustração. Perdi muito, mas ganhei o suficiente. E isso me fez ver as coisas e a vida de outro jeito. E que talvez esses dois anos que eu estava considerando como os piores da minha vida tenham sido na verdade os melhores. Porque eles tiraram tudo do lugar, da zona de conforto, fizeram bagunça pra caralho. E me fizeram melhor.

E o que eu espero de 2017 é tentar fazer da vida menos doída, menos pesarosa, independente da quantidade de tombos. Tanto pra mim quanto pra quem está perto de mim. Quero ser uma pessoa melhor. Melhor pra mim, pros outros e pro mundo, dentro das minhas limitações e defeitos. Agradecer mais e não reclamar tanto. Fazer valer a pena. Gastar tempo e estar junto de quem realmente importa. Porque a única certeza é que a vida é curta e estamos aqui só de passagem. E devíamos aproveitar melhor a estadia.

Feliz 2017 pra todos vocês! Que em 2017 sejamos o melhor de nós mesmos. ♡

– Juh, na luta pra ser melhor.

Continue Reading

Sorteio 7 anos do O Instável Mundo da Juh! Livro Florbela Espanca + Quadro e Marcadores <3

trilha sonora:

Shiny Happy People – R.E.M.

Oi gente!

7 anos atrás eu me aquietava de vez com um blog.

7 anos atrás nasceu “O Instável Mundo da Juh” e desde então esse tem sido o meu lugar favorito pra ficar comigo mesma. E é bem legal ver nesses sete anos o tanto de gente que se identificou com essa instabilidade toda daqui.

E em comemoração aos 7 anos de existência do blog eu resolvi fazer um sorteio pra agradecer e comemorar esses sete anos. O prêmio do sorteio é um kit lindeza:

juliana-bassan-ayon

o livro Antologia Poética da poetisa Florbela Espanca, nessa edição lindíssima em capa dura:

14305273_785988894877017_7521605241092441877_o

um quadro de madeira com vidro de um pôster 40×30 com um trecho do poema ‘Malogra’:

14305185_786199588189281_8616253608635510955_o

uma arte original em papel canson 24×16 feita por mim em aquarela, sem moldura:

14305364_10205416781659453_9100507544198169698_o

e mais 8 marcadores de livros com frases publicadas no blog e na página. 🙂

14361452_786188404857066_3258728401464496971_o

A promoção tá rolando lá na página do blog no facebook (facebook.com/oinstavelmundodajuh) e pra participar é só clicar na guia “Promoções” na página e clicar em “Quero Participar”!

Neste link você entra direto na promoção 🙂

raw

Abaixo estão as regras e o regulamento:

REGRAS
A participação do sorteio é gratuita e voluntária e qualquer pessoa física pode participar, desde que:
– tenha um endereço de entrega no Brasil.
– não seja um perfil caça promoções.

REGULAMENTO
A promoção é válida do dia 11.09.2016 até o dia 10.10.2016.
O sorteio será realizado através do aplicativo Yes Ganhei! na guia ‘Promoções’ na página do blog no facebook (facebook.com/oinstavelmundodajuh) entre as pessoas que clicarem em “Quero Participar” e estiverem dentro das regras acima. O resultado será divulgado no dia 12/10.
O vencedor(a) será divulgado em um post no blogwww.oinstavelmundodajuh.com.br, na página do blog no facebook (facebook.com/oinstavelmundodajuh) e será informado via email e inbox no facebook e terá o prazo de três dias para entrar em contato após a divulgação do resultado.
Caso o vencedor não entre em contato conosco no prazo estipulado um novo sorteio será realizado.
O prêmio será enviado no prazo de até 15 dias pela Juh pelo correio.
O blog não se responsabiliza pelo atraso ou extravio dos correios ou pela informação de endereço errado fornecido pelo sorteado.

Bora participar? o/

Chama os amigos e boa sorte! <3

Continue Reading