8 de Março – Dia Internacional da Mulher

quando chegar aos 30
serei uma mulher de verdade
nem Amélia nem ninguém
um belo futuro pela frente
e um pouco mais de calma talvez
e quando chegar aos 50
serei livre, linda e forte
terei gente boa do lado
saberei um pouco mais do amor
e da vida quem sabe
e quando chegar aos 90
já sem força, sem futuro, sem idade
vou fazer uma festa de prazer
convidar todos que amei
registrar tudo que sei
e morrer de saudade

 

– Martha Medeiros

 

Um texto em homenagem ao dia Internacional da Mulher
que no fim acabou sendo ‘especial’ pra mim mesma,
 que completo 30 anos esse ano.
Continue Reading

encarando

“Cazuza ainda dizia, lá no meio dos versos, que pega mal sofrer. Pois é, pega mal. Melhor sair pra balada, melhor forçar um sorriso, melhor dizer que está tudo bem, melhor desamarrar a cara. “Não quero te ver triste assim”, sussurrava Roberto Carlos em meio a outra música. Todos cantam a tristeza, mas poucos a enfrentam, de fato. Os esforços não são para compreendê-la, e, sim, para disfarçá-la, sufocá-la. Ela que, humilde, só quer usufruir do seu direito de existir, de assegurar seu espaço nesta sociedade que exalta apenas o oba-oba e a verborragia, e que desconfia de quem está calado demais. C.laro que é melhor ser alegre que ser triste (agora é Vinícius), mas melhor mesmo é ninguém privar você de sentir o que for. Em tempo: na maioria das vezes, é a gente mesmo que não se permite estar alguns degraus abaixo da euforia.”

Martha Medeiros
Continue Reading

querendo

 



“Dizem que a gente tem o que precisa. Não o que a gente quer. Tudo bem. Eu não preciso de muito. Eu não quero muito. Eu quero mais. Mais paz. Mais saúde. Mais dinheiro. Mais poesia. Mais verdade. Mais harmonia. Mais noites bem dormidas. Mais noites em claro. Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais.” 
Caio F. Abreu
 
 
a imagem é daqui
Continue Reading

soneto

Soneto de Fidelidade – Vinicius de Moraes

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes, “Antologia Poética”,


a imagem é daqui

Continue Reading

Contradição

“Te amo assim diretamente sem problemas nem orgulho:
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
Senão assim deste modo que não sou nem és,
Tão perto que tua mão sobre o meu peito é minha,
Tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.”
Pablo Neruda

Ontem dei uma volta pelas minhas lembranças tentando descobrir onde foi que eu me perdi de você. Onde foi que nós nos deixamos escapar. Onde é que as coisas que nós tínhamos em comum desapareceram. Onde foi que passamos a ser desconhecidos um pro outro. Não encontrei. Será que é porque nunca tivemos mesmo tantas coisas em comum? Acho que na realidade maquiamos as nossas idéias e pensamentos pra agradar. Eu lembro como você concordava com tudo o que eu dizia que gostava. Tudo mentira! E depois de tanto tempo juntos não dava pra continuar sustentando essas mentiras todas. Não dava pra ocultar quem realmente nós somos. E nós também não somos exatamente opostos pra fazer jus ao ditado “Os opostos se atraem”. Nós não somos mais tão parecidos. Nossas idéias de diversão são completamente diferentes. Muitas das coisas que  você gosta eu não suporto. As músicas que eu gosto de ouvir não são as que você gosta e vice versa. Nossa maneira de ver e encarar a vida são distintas. Os meus sonhos e planos para o futuro não são os mesmos que os seus. Até os nossos valores parecem ser diferentes. Então me responde: O que estamos fazendo juntos? E por que é eu te amo tanto? O que tem em você que me faz te querer assim? Por que eu não consigo mais imaginar a minha vida sem você ao meu lado? São tantas perguntas… Mas te analisando, analisando tudo isso… penso que pode ser o seu sorriso o culpado. Infantil, sincero e tão despretensioso ao mesmo tempo. Adoro te ver sorrindo e me pego feito uma boba te olhando. Pode ser também a sua capacidade de me fazer rir, mesmo quando eu estou estressada, pronta pra jogar um caminhão na sua cabeça durante as nossas brigas. Pode ser que seja a sua boca, o seu corpo, seu abraço… e a maneira como você já me conhece tão bem e sabe exatamente como e o que fazer comigo. A hora certa de me deixar sozinha e a hora certa de me abraçar apertado. E agora eu me pergunto, como podem duas pessoas estarem tão longe e tão perto ao mesmo tempo? Será que eu tive que me perder pra realmente poder te encontrar?

-Juliana Bassan Ayon

Continue Reading