chovendo

As coisas nunca são tão boas quanto a forma como as imaginamos. Nunca contamos com os imprevistos. Ainda mais eu, sempre tão otimista e sonhadora. Sempre poetizando meu olhar sobre tudo. Mas o mundo não é um sonho. Existe muita poesia por aí, mas tem dias em que o mundo não é nada poético. E fica rígido, duro e grosseiro. Hoje o dia foi desses, me deu pancada o tempo todo. Voltei pra casa chovendo junto com o céu. Quase desistindo de tudo. Mas se o dia é meu, eu sou teimosa e o transformo. E busco beleza de todo jeito. Até nas lágrimas do céu escorrendo na janela do ônibus. Quem disse que não existe poesia no chover?
-Juh, chovendo.

Continue Reading

egocentrista

Trabalho, estudo, família, amigos…
Responsabilidades reais e sociais.
De todo canto exigem meu tempo.
Esperam muito de mim.
Sugam tudo o que podem.
Faço tudo por todos e nada por mim.
E se me afasto, cuido e busco coisas pra mim, sou egoísta.
Egocentrista.
E levo a vira girando em torno do meu umbigo.
Nunca vou agradar ninguém,
isso é fato.
Por isso me afasto.
E assumo mesmo a carapuça.
Sou egoísta.
Não gosto de gente.
Não gosto nem de mim.
E me isolo na minha bolha.

Continue Reading

Poesia Audiovisual – ‘Vazio’

Não funciono gravando a minha cara recitando minhas poesias. E fazia tempo que eu queria fazer algo desse tipo, dar a minha voz e entonação aos meus versos. Mas de que jeito sem mostrar a minha cara? Daí esses dias gravei alguns segundos perdidos do meu cotidiano e juntei com a minha voz e uma poesia. E o resultado foi esse. 💛

A poesia completa pode ser lida aqui

Edit: e já que o retorno desse vídeo foi positivo, agora O Instável Mundo da Juh tem canal no YouTube! Se inscreva! 😄

Continue Reading

queda livre

Não se engane com esse sorriso que estampa o meu rosto e nem com as piadinhas que eu conto. Enquanto nos falávamos, pensei três vezes em morrer. Eu não queria que isso acontecesse. Não é de propósito. Mas, de tempos em tempos, essa sensação volta. E me enrola feito uma cobra e quebra todos os meus ossos. Essa coisa de não me sentir pertencente a nada me sufoca. Não me sinto importante e logicamente não é diferente com você. Esses seus olhos gelados não enxergam o vazio que tem encharcado os meus. Não ouvem os gritos silenciosos de desespero neles. Você me olha, mas não me vê. Não percebe o poço de desespero sem fim em que me joguei. E sigo em queda livre. E pode ser que de tanto cair, um dia a gente esteja tão longe que você não vai mais conseguir me alcançar.

Continue Reading

madrugada

Mais uma noite em claro. Mais uma madrugada que ficará cansada de me ouvir chorar. Ouço, lá fora, a chuva cantar. E fazer barulho. Conto os pingos que batem na janela. A solidão se sentou na beirada da minha cama. Roubou meu espaço. Não consigo deitar de forma confortável com ela aqui. Ela preenche o cômodo todo. Ela me preenche. E eu choro. Chovo junto com a chuva. Porque estou cansada. Porque tenho sono e não durmo. Porque eu tenho medo e me engano. Porque tenho amor e não amo. Porque tinha você e não tenho mais. Perdi.

Continue Reading

café

O cheiro dos pães de queijo no forno invadem a casa. O café ficando pronto na cafeteira produzindo aqueles barulhos engraçadinhos; o da água fervente sendo jogada em cima do pó e dos pinguinhos batendo no vidro quando ele fica pronto. No sofá, me sinto quentinha enrolada nas cobertas. Parece que encontrei a perfeição. Pego meu livro e tento me concentrar pra estudar, mas não consigo. A cabeça está longe. Falta alguma coisa. Falta você.

Continue Reading